Saúde

Mato Grosso do Sul registra recorde de transplantes em 2023

Campo Grande, 17 de janeiro de 2024 – Mato Grosso do Sul registrou um total de 203 transplantes realizados até setembro de 2023. Esse número inclui 26 transplantes de órgãos e 177 transplantes de córnea, refletindo melhorias na área de doações e cirurgias.

O órgão mais transplantado no estado foi o rim, com 25 cirurgias bem-sucedidas realizadas, proporcionando uma nova chance de vida para pacientes que estavam na fila de espera. Além disso, uma cirurgia de transplante de coração também foi realizada durante o período.

Em todo o Brasil, houve um aumento notável no número de transplantes de órgãos em 2023, atingindo o maior patamar em uma década, com 6.766 procedimentos realizados entre janeiro e setembro. Isso representa um avanço importante na oferta de órgãos e tecidos para pacientes necessitados.

Apesar da diminuição de 10,6% na lista de potenciais doadores oficialmente registrados em Mato Grosso do Sul, de 179 em 2022 para 160 em 2023, o país como um todo viu um aumento de 5,6% nesse número, de 9.943 para 10.495 potenciais doadores, refletindo um compromisso nacional em aumentar a disponibilidade de órgãos e tecidos para aqueles que aguardam.

No que diz respeito ao transplante de córnea, Mato Grosso do Sul também apresentou um desempenho notável, com 177 cirurgias realizadas nos primeiros nove meses de 2023, em comparação com 10.544 no ano anterior. Isso destaca a importância da conscientização e do incentivo à doação de tecidos e órgãos.

O Ministério da Saúde gerencia a lista de espera por transplantes em todo o Brasil, e atualmente, mais de 41 mil pessoas aguardam por um órgão, com a maioria delas na fila para um transplante de rim. Cerca de 420 pessoas aguardam por um coração na fila de transplante atualmente.

Para apoiar o aumento da capacidade assistencial de transplantes e atender à demanda da população, o Programa de Incremento Financeiro para o Sistema Nacional de Transplantes (SNT) foi instituído em setembro de 2023, unindo esforços de todos os estados e municípios do Brasil para centralizar a notificação de doações e garantir uma logística adequada para os órgãos e tecidos disponíveis.

A legislação brasileira permite a disposição gratuita de tecidos, órgãos e partes do corpo humano para fins de transplante e tratamento, sendo regulamentada pela Lei nº 9434/1997. Além disso, os critérios que organizam a fila de transplantes são estabelecidos na Portaria de Consolidação nº 4, de 28 de setembro de 2017, que aprova o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes, garantindo a transparência e a justiça na alocação de órgãos.

Em novembro de 2023, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Política Nacional de Conscientização e Incentivo à Doação e ao Transplante de Órgãos e Tecidos, com o objetivo de promover a conscientização sobre a importância das doações e esclarecer questões relacionadas ao tema. A política inclui investimentos em programas de formação continuada e atividades educacionais destinadas a informar a sociedade sobre a doação de órgãos.

O Governo Federal também desempenhou um papel fundamental ao autorizar um número significativamente maior de novos serviços de transplante, dobrando de 31 em 2022 para 64 em 2023, o que representa um aumento de 106%. Essa expansão contribui para a melhoria do acesso aos transplantes em todas as regiões do Brasil.

O Brasil atualmente possui 1.198 serviços credenciados para realizar transplantes de diversos tipos, incluindo medula óssea, córnea, rim, fígado, coração, entre outros, refletindo um compromisso contínuo em melhorar a saúde e a qualidade de vida da população brasileira.