Colunistas

Até onde vai a maldade de quem diz SER, HUMANO?

Por Samiza Soares

O mundo em que vivemos está doente, e parece que a humanidade está perdendo os valores mais básicos.
Vamos lembrar da importância do respeito aos mortos! O vilipêndio a cadáver é uma conduta criminosa que viola a dignidade dos mortos e causa dor às famílias enlutadas.

O recente vazamento das fotos da cantora Maria Mendonça no Instituto Médico Legal (IML) é um exemplo triste e lamentável de invasão de privacidade e desrespeito ao ser humano. Infelizmente, a história se repete, e isso já aconteceu anteriormente na morte dos cantores dos Mamonas Assassinas. As pessoas precisam ter seus direitos preservados, mesmo após a morte.

É importante lembrar que por trás dessas imagens há famílias enlutadas, amigos e entes queridos sofrendo com a perda. São seres humanos, não objetos.

O luto é um processo doloroso, mas também pode nos ajudar a valorizar ainda mais as relações afetivas que temos. Por isso, reflita sobre os momentos felizes que você viveu ao lado da pessoa que se foi. Lembre-se de suas risadas, dos momentos de carinho e afeto. Mantenha essas lembranças vivas em seu coração, e lembre-se sempre dos momentos bons, e permita-se encontrar conforto e esperança mesmo nos momentos mais difíceis.

Que possamos honrar a memória dos que partiram com respeito e dignidade. E que as autoridades tomem medidas efetivas para evitar que cenas lamentáveis como essas voltem a acontecer.

A violência, a intolerância e o egoísmo parecem estar cada vez mais presentes em nossa sociedade. Mas essa não é uma realidade inevitável. Cada um de nós pode fazer a sua parte para mudar isso. É necessário que cultivemos a empatia e o respeito pelo outro. Devemos praticar atos de bondade e solidariedade, mesmo que pareçam pequenos. Cada gesto conta, e pode fazer a diferença na vida de alguém.

Também é importante estarmos alertas e conscientes sobre os problemas que afetam nosso mundo. Precisamos lutar contra a injustiça e a desigualdade, e fazer a nossa voz ser ouvida. Não podemos nos calar diante das violações aos direitos humanos, da destruição do meio ambiente e de outras questões que afetam a todos.

Nós temos o poder de mudar o mundo, mas precisamos agir juntos. Vamos unir nossas forças e trabalhar por um mundo mais justo, solidário e humano.

Te desejo muito amor, pois o amor é uma luz que não deixa escurecer a vida.

Samiza Soares
Foto: Divulgação