Colunistas

Conheça tudo sobre os vinhos portugueses

Os rótulos do país têm qualidade reconhecida no mundo inteiro

Reinaldo Adri

Portugal sempre foi um dos grandes produtores de vinhos do mundo, mas a qualidade da bebida no país vem aumentando consideravelmente nos últimos anos por conta da adesão à União Europeia. Novas tecnologias de produção chegaram, assim como foi possível a melhor formação dos profissionais portugueses. A terra dos nossos colonizadores é hoje um lugar em ebulição do ponto de vista enológico, com grandes

Os vinhos portugueses são divididos em três tipos quanto ao processo de produção. São ‘vinhos de mesa’, ‘vinhos regionais’ e os vinhos DOC (Denominação de Origem Controlada), com normas mais restritas do que outros em relação à produção, tipologia, uvas e rendimento dos vinhedos.

Essas garrafas são provenientes de 14 regiões diferentes, cada uma com suas características. Uma delas é a região do Alto Douro, no norte do país, famosa por produzir vinhos profundos e estruturados, com alto potencial de guarda. É de onde vem o conhecido Vinho do Porto. Outro lugar é a Ilha do Pico, no Arquipélago dos Açores, que produz ótimos vinhos brancos, acídulos e delicados, ideais para acompanhar pratos com frutos do mar.

Boas opções também podem surgir de origens diferentes. Entre os bons produtos há os vinhos da Ilha da Madeira, os Alvarinhos de Monção e Melgaço, no extremo norte, e o ressurgimento de bons vinhos na região de Colares, baseados nas castas Ramisco e Malvasia.

Uma característica marcante de Portugal é o ‘vinho verde’, produzidos na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, constituindo assim uma DOC. Apesar do nome, ele pode ser tinto, branco ou rosado e subdividido em diferentes castas para cada tipo. Os vinhos são leves, menos alcoólicos e calóricos. Levando em consideração o estilo predominante na região, de brancos leves e refrescantes, com uma acidez quase cítrica e aromas que evocam frutas e flores brancas. “O ideal seria harmonizá-los com entradas leves, saladas e preparações mais delicadas, de peixes e frutos do mar.”

Abaixo, uma lista de vinhos portugueses que valem a pena serem degustados.

Aphros Loureiro – vinho verde as sub-região de Lima é ideal para acompanhar mariscos, peixes, sushis e saladas de frutas. Trata-se do único produtor biodinâmico de Portugal.

 

Cistus – Tinto, proveniente do Douro Superior, é perfeito para combinar com grelhados, massas e carnes brancas. Deve ser servido com temperatura de 18ºC.

 

António Saramago – produzidos na Península do Setúbal e no Alentejo, sul de Portugal, os vinhos tintos desse rótulo são sempre uma escolha certeira. Os rótulos levam o nome de um dos maiores enólogos do mundo.

 

Assobio – É produzido na vinícola Quinta das Murças, na tagião do Douro. O nome vem de uma encosta da propriedade onde se encontram as vinhas de maior altitude. Acompanha arroz de forno e castanhas assadas. A temperatura ideal para consumo é 16ºC.

 

Foto: Divulgação